condomínio

Um projeto de construção de um condomínio deve abordar diferentes aspectos. Não é um processo fácil de ser concluído, podendo levar meses para ser finalizado.

A velocidade depende da quantidade de profissionais envolvidos, e da capacidade financeira de compra dos instrumentos necessários para a construção.

Além disso, a forma como será disposto o espaço do condomínios, se ele será de prédios ou de casas, qual o tamanho dos apartamentos ou das residências, onde estarão os espaços em comum do condomínio, qual será o tamanho da garagem, entre outros aspectos, depende das ideias de planejamento das empresas.

Por isso, é essencial que seja feito esse planejamento, juntamente com profissionais de diferentes áreas, tais como:

  • Engenheiros;
  • Arquitetos;
  • Construção civil;
  • Lojas de construção;
  • Indústrias de peças.

Nesse planejamento, também deve ser incluída a forma como serão instalados os sistemas de distribuição, essencialmente o hidráulico e o de energia elétrica.

A energia é fundamental para qualquer residência, pois permite que os aparelhos eletrônicos, como eletrodomésticos, televisões e computadores funcionem.

Além disso, sem energia, os portões eletrônicos das garagens, que dependem de caixa de passagem elétrica, e os elevadores também não funcionam.

Por fim, ele também é responsável pelo ligamento das luzes, ou seja, os elementos que iluminam todo o ambiente dos condomínios, seja nos apartamentos, nos corredores dos prédios, nos elevadores, garagens ou outras áreas comuns.

Para que seja feito o controle da distribuição de energia, a presença de diversos pequenos elementos são fundamentais, como os disjuntores, que realizam o controle, protegendo de efeitos de sobrecarga energética.

Para encontrar esses elementos, as empresas construtoras precisam procurar por um disjuntor preço acessível, encontrando aquele dispositivo que mais se adequa para as necessidades da montagem do condomínio.

Vigilância para os ambientes internos

A energia elétrica também desempenha um papel fundamental adicional, que é permitir que os sistemas de vigilância funcionem da maneira adequada, principalmente as câmeras de segurança, alarmes, scanners digitais, entre outros.

Existe uma lei de câmeras em condomínio que rege a obrigatoriedade de ter câmeras espalhadas pelos ambientes prediais, como nos corredores, elevadores, entradas, entre outros espaços.

Dessa maneira, é possível reforçar a vigilância e a segurança de todas as pessoas que vivem nos condomínios. Esse é um aspecto muito importante para que as empresas consigam vender ou locar os seus imóveis, ainda mais dependendo da região onde o condomínio será construído.

A portaria também desempenha um papel fundamental para a estratégia de proteção, vigilância e segurança. Muitos condomínios contratam profissionais específicos para trabalharem na vigilância de tudo o que está acontecendo no interior do condomínio.

Além disso, eles são os responsáveis por permitirem ou negarem a entrada dos moradores ou das pessoas que queiram visitar amigos ou familiares, ou prestar algum tipo de serviço.

Entretanto, atualmente muitas empresas estão mudando esse modelo de segurança, utilizando, por exemplo, sistemas de portaria remota. Esse tipo de segurança é feita de forma remota, ou seja, sem a presença de um profissional no espaço do condomínio.

Ao invés disso, as empresas que oferecem esse tipo de sistema para os condomínios possuem uma central onde tudo acontece.

A partir da visualização das câmeras, e dos pedidos de entrada e ou saída de visitantes, as pessoas que trabalham nessas centrais conseguem vigiar, observar e permitir ou negar essas ações.

Normalmente, a entrada de moradores em sistema de portaria remota é feita através da biometria, pois esse é um elemento intransferível, ou seja, a pessoa só consegue entrar no espaço do condomínio caso tenha sua biometria registrada.

Por fim, outro aspecto de proteção de condomínios que devem ser destacados, é em relação às estruturas que são utilizadas para moldar as entradas dos prédios.

Os portões, por exemplo, podem ser de diferentes tamanhos e compostos por diversos tipos de materiais. As escolhas dependem da necessidade e do aporte financeiro de cada empresa.

Uma ideia interessante é utilizar um gradil de aluminio, que é um elemento estrutural muito resistente e robusto, o que dificulta o trabalho de pessoas que queiram invadir o condomínio.

Saneamento básico para condomínio

Para finalizar, é essencial abordar o saneamento básico, que é um elemento fundamental para que as pessoas consigam viver em condomínios com dignidade.

O saneamento se refere aos elementos como água encanada e despejo do esgoto de forma adequada, sem que ele fique acumulado em locais totalmente impróprios, causando problemas para a saúde das pessoas que moram nesses ambientes.

Nesse sentido, para que o esgoto seja despejado de maneira controlada e segura, a presença de uma caixa de esgoto de concreto no projeto de construção é fundamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *